Sindical e Previdência

Representantes do Portus e portuários se reúnem hoje

O objetivo do encontro é expor as mudanças que serão implementadas a partir de 1º de abril no fundo de pensão

20 FEV 2018 Por Da Reportagem 08h:40
Everandy Cirino dos Santos é o presidente do Sindaport Everandy Cirino dos Santos é o presidente do Sindaport / Divulgação

Representantes do Portus (fundo de pensão dos empregados das Companhias Docas) vão se reunir hoje, às 9 horas, com portuários aposentados e pensionistas na sede do Sindaport. O objetivo do encontro é expor as mudanças que serão implementadas a partir de 1º de abril no fundo de pensão. A expectativa é que mais de 300 pessoas participem da reunião.

Segundo o presidente do Sindaport, Everandy Cirino dos Santos, diante da situação cada vez mais preocupante do fundo de pensão, que possui um deficit superior a R$ 3 milhões e a todo momento corre risco de ser liquidado, o Portus vai propor aos aposentados e pensionistas uma redução no benefício previdenciário. “Infelizmente, essa proposta já foi aprovada pelas Companhias Docas e pelo Ministério dos Transportes. Há anos fala-se da crise vivida no Portus e das dívidas da antiga Portobrás, mas agora quem vai pagar o pato será o portuário aposentado, pensionista e o da ativa. Já que quem ainda está trabalhando e contribui com o Portus, terá que pagar ainda mais”, ressalta.

“Apesar das várias reuniões em Brasília e no Rio de Janeiro entre sindicatos, associações, Federação Nacional dos Portuários, Secretaria de Previdência Complementar, Ministério dos Transportes e até deputados federais, nada foi capaz de impedir essa medida, que vai prejudicar os portuários que acreditaram em ter uma aposentadoria tranquila ao aderir ao Portus”, analisa Everandy Cirino.

A proposta do interventor, divulgada em junho do ano passado, prevê o aumento do percentual descontado dos participantes da ativa de 9% para 27,75% e dos assistidos de 10% para 28,77%. “Estamos cansados de falar que essa opção dada pelo interventor é inviável aos portuários assistidos e da ativa. Um participante que hoje contribui com mil reais para o Plano de Benefícios (PBP1) passará a pagar 3 mil reais. Ou seja três vezes mais. Isso é um absurdo. Há anos discutimos a terrível situação do Portus e agora a alternativa recai nos portuários da ativa e assistidos. Não vamos permitir que isso ocorra”. Já no caso dos assistidos que têm benefício de R$ 1.500,00, o desconto passará de R$ 150,00 para R$ 433,55.

Reunião Codesp

Já os empregados da Codesp, participantes ativos do fundo, terão reunião com os representantes do Portus hoje e amanhã das 14 às 17 horas no Centro de Treinamento da estatal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

©2018 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma