São Vicente

Projeto social muda vida de velejador vicentino

Max Gondo iniciou trajetória esportiva há 20 anos e, hoje, integra uma das principais equipes de vela oceânica do mundo

13 MAR 2018 Por Da Reportagem 15h:31
Max Gondo há 20 anos ingressava em um projeto social pioneiro no Brasil Max Gondo há 20 anos ingressava em um projeto social pioneiro no Brasil / Divulgação

Aos 11 anos, o garoto contemplava o mar e não sabia que aquela imensidão lhe reservava um futuro brilhante. Max Gondo há 20 anos ingressava em um projeto social pioneiro no Brasil. Realizado em São Vicente, a iniciativa oferecia aulas gratuitas de vela a meninos e meninas de escolas públicas da Cidade. A oportunidade lhe proporcionou mais que uma carreira esportiva de sucesso e uma profissão, o atleta passou a enxergar a vida sob uma nova perspectiva.

“Morava em frente à praia. Via os barcos e ficava admirando. Na época estudava na República de Portugal (escola municipal). Foi quando lançaram o projeto Vento em Popa. Não existia aula deste tipo na Cidade, nem mesmo paga. Eles foram até a escola anunciar o projeto. O critério era ter boas notas. Fui selecionado e me apaixonei pelo esporte”, explica Max. As aulas eram ministradas na Praia do Gonzaguinha.

 Aos 14 anos, Max teve a certeza que queria seguir carreira como atleta profissional e participou de sua primeira competição. “Comecei com o barco monotipo. Foi na Copa Martim Afonso de Sousa, aqui mesmo em São Vicente. Participei sete vezes deste campeonato, que hoje não existe mais”. Desde então, o vicentino acumula mais de 500 torneios realizados por toda a América do Sul. “Foram muitas as vitórias, mas a superstição diz que não se deve contar títulos”, afirmou com humor.

O barco monotipo ficou para trás. Max Gondo integra atualmente uma das principais equipes da vela oceânica do mundo. Vive entre o mar e a terra. Entre a saudade da esposa e a paixão pelo oceano. “Tudo o que tenho hoje veio do projeto. Tenho muita gratidão ao Belo, João, Mosquito e a todos que acreditaram em mim. Foi com o esporte que tive a oportunidade de fazer uma faculdade. O esporte me deu uma vida social e financeira melhor. O esporte mudou a minha vida”, destacou.

A experiência também fez com que o atleta se tornasse um profissional do ramo. Quando não está no mar, está em alguma marina e estaleiro atuando na manutenção de embarcações. “Tenho uma profissão também. Sou marinheiro”.

Projetos – O Vento em Popa não existe mais. Mas o Município conta com dois espaços que oferecem gratuitamente aulas de modalidades náuticas. O objetivo é fazer com que outros jovens tenham oportunidades e trilhem um caminho de sucesso não apenas no esporte, mas na vida.

“O esporte também cultiva companheirismo e integridade. Vi meninos que tinham problemas sérios se transformarem por meio do esporte. A Prefeitura tem hoje uma parceria com o Governo do Estado, por meio do Navega São Paulo. Temos aulas no Gonzaguinha e no Centro Náutico, na Vila Margarida”, explicou Mosquito, secretário-adjunto de Esportes de São Vicente e um dos idealizadores do projeto que atendeu Max Gondo.

A Prefeitura oferece gratuitamente aulas de canoagem, stand-up, vela, remo e canoa havaiana na Escola de Vela (Rua Antonio Rodrigues, 186 - Gonzaguinha) e no Centro Náutico (Avenida Nações Unidas, 1.701 - Vila Margarida). O interessado deverá levar duas fotos 3x4, comprovante de residência, declaração escolar (para estudantes), atestado médico, RG e CPF (do responsável, em caso de menor de idade).

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

©2018 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma