Polícia

Oito estivadores são presos por tráfico no porto

A droga, de acordo com a investigação, seria colocada em um contêiner com destino à Europa

1 OUT 2018 Por Da Reportagem 22h:13
Os estivadores foram flagrados escondendo tabletes de cocaína em macacões fora de um terminal portuário e abordados dentro da empresa Os estivadores foram flagrados escondendo tabletes de cocaína em macacões fora de um terminal portuário e abordados dentro da empresa / Divulgação/PF

A Polícia Federal (PF) prendeu ontem ao menos oito estivadores ontem sob a suspeita de tráfico internacional de drogas no Porto de Santos. Eles foram flagrados escondendo tabletes de cocaína em macacões fora de um terminal portuário e acabaram abordados dentro da empresa pelos agentes, que apreenderam cerca de 30 quilos de cocaína. O destino da droga, segundo a investigação, seria a Europa.

A ação policial ocorreu durante a manhã e contou com apoio da Guarda Portuária. Dentro do terminal, parte dos estivadores tentaram se livrar do entorpecente.

De acordo com a investigação, a droga seria colocada pelos estivadores em um contêiner.

Ogmo

Por meio de nota, o Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo) de Santos lamentou a ocorrência e informou que caso exista envolvimento de trabalhador portuário avulso com cadastro ou registro nos quadros conduzirá procedimento administrativo disciplinar. O procedimento, conforme o Ogmo, garante o contraditório e a ampla defesa do trabalhador assim que for solicitado pelo operador portuário, “aplicando as sanções disciplinares cabíveis para a ação praticada”.

O Sindicato dos Estivadores de Santos e Região também foi procurado pela Reportagem, mas não se manifestou até a conclusão da edição.

Recorde histórico

Mais de 16,2 toneladas de cocaína foram apreendidas neste ano no cais santista, o que representa um recorde histórico. 

A quantidade de drogas apreendida no complexo tem aumentado a cada ano desde 2015. Naquele ano, foi recolhida uma tonelada em um total de cinco operações.

Em 2016, a quantidade saltou para 10,6 toneladas em 22 operações. Já em 2017, foram 11,5 toneladas apreendidas em 24 ­operações.

Em grande parte dos casos, verifica-se o uso da técnica criminosa conhecida por “rip-off loading”, na qual a droga é inserida em uma carga regular, sem o conhecimento do proprietário.

Deixe seu Comentário

Leia Também

©2018 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma