Cotidiano

Merenda deve voltar a ser problema em Cubatão

Empresa G&T Cozinha Industrial Ltda, contratada pela Prefeitura como responsável pelo preparo e fornecimento da alimentação dos estudantes, começou a dispensar merendeiras

5 OUT 2018 Por Carlos Ratton 08h:20
A princípio, 15 escolas poderão ser afetadas A princípio, 15 escolas poderão ser afetadas / Agência Brasil

O fornecimento de merenda a milhares de alunos da rede municipal de ensino de Cubatão pode estar comprometido novamente este ano. É que segundo informações obtidas pelo Diário, a empresa G&T Cozinha Industrial Ltda, contratada pela Prefeitura como responsável pelo preparo e fornecimento da alimentação dos estudantes, começou a dispensar merendeiras. Nas redes sociais, uma profissional postou o aviso prévio, que começou no último dia 3, com previsão de término no próximo dia ­primeiro.   

A princípio, conforme revelado, 15 escolas poderão ser afetadas. Levantamento realizado pela Administração aponta que a rede possui 16,7 mil estudantes. O contrato com a empresa está no fim e uma nova licitação ainda não foi finalizada. A G&T substituiu a Cheff Grill que, em abril deste ano, também teve dificuldades em manter as merendeiras e teve seu contrato encerrado, abrindo espaço para um novo emergencial (sem licitação).   

O contrato com a empresa anterior atingia o valor de R$ 8.855.394,00, por seis meses de serviços. Ou seja, pouco mais de R$ 1,47 milhão por mês. O emergencial atual, com a G&T, é de R$ 12.291.791,00 – pouco mais de R$ 2 milhões por mês.

Em abril, a Prefeitura havia garantido que uma licitação foi aberta em outubro do ano passado, mas que o certame foi suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado (TC-SP) e, por conta disso, novo contrato emergencial teve que ser realizado para garantir o abastecimento. A Administração resolveu abrir a possibilidade de três empresas participarem de ­emergenciais.  

Confirmação

Procurada ontem, a Prefeitura de Cubatão confirmou que até hoje vem mantendo contrato emergencial com a empresa da merenda. Segundo nota, a Secretaria de Educação (Seduc) foi informada de que a empresa estaria comunicando o aviso prévio a funcionários, tendo em vista “o encerramento do contrato emergencial no próximo dia 28”.

A Seduc garante que, até o momento, não houve quaisquer paralisações no serviço de merenda escolar e que vem realizando os repasses financeiros à empresa. A Seduc também ­informa que já foi deflagrada uma nova licitação para este mês pelo Diário Oficial ­Eletrônico.

Deixe seu Comentário

Leia Também

©2018 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma