Cotidiano

Hospedaria abrigou posto de gasolina e oficina da Polícia Civil

Isso explica a contaminação do solo do imóvel por óleo combustível e o adiamento da construção da nova sede da Faculdade de Tecnologia, naquela área

11 OUT 2018 Por Glauco Braga 08h:20
A oficina funcionou até 1998, na Rua Silva Jardim, 93/95, no Macuco A oficina funcionou até 1998, na Rua Silva Jardim, 93/95, no Macuco / Rodrigo Montaldi/DL

Agora é oficial. A Polícia Civil manteve de 1970 a 1998 uma oficina e posto de combustíveis dentro do imóvel da Hospedaria dos Imigrantes. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo. Isso explica a contaminação do solo do imóvel por óleo combustível e o adiamento da construção da nova sede da Faculdade de Tecnologia (Fatec), naquela área. Qualquer obra só pode ser feita depois da descontaminação e retirada do solo.  

A oficina funcionou até 1998, na Rua Silva Jardim, 93/95, no Macuco, quando foi desativada e o imóvel tombado pelo  Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa).  O tombamento com Nivel de Proteção 1 (NP) proíbe alteração nas áreas interna e externa do imóvel.

Leia:
Solo da Hospedaria dos Imigrantes está contaminado, diz Cetesb

Em 2011, a Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo fez uma consulta ao Condepasa, sobre a possibilidade de alterar o a área de NP de 1 para 2, ou seja, onde a fachada é restaurada, mas o interior pode ser modernizado. O documento cita que seria possível “construir moderna instalação de ensino adequadamente projetada e incorporada ao edifício antigo tombado devidamente restaurado efetuando um diálogo entre o antigo e o moderno com ênfase no respeito ao patrimônio histórico que, em permanecendo tombado e renovado encarnaria o compromisso da comunidade na preservação de sua história, além de poder contar com benefícios legais que apenas o tombamento propicia”. A ideia não prosperou, mas o texto mostra a ideia do Governo do Estado da implantação da Fatec no local.

Álcool e gasolina

A oficina da Polícia Civil possuía bombas para abastecimento de álcool e gasolina, serviço de guincho, funilaria e pintura, e reparos na mecânica. O prédio pertencia, à época, a Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo.

Explosão

O engenheiro ambiental Élio Lopes destacou que num terreno contaminado por óleo combustível pode haver formação de gases e explosão.

“Se penetrar em espaços confinados como tubulação de esgoto, drenagem ou em ambientes fechados, como garagem, pode explodir. Já atendi um caso desses no condomínio Barão de Mauá, na cidade de Mauá, que resultou na explosão do poço de bomba, matando o zelador. A área era contaminada por óleo de amortecedor da empresa Cofap. Os micro-organismos presentes no solo, vão querer degradar essa matéria orgânica (óleo) gerando o gás metano que em contato com fonte de ignição explodem. Isso ocorreu em Mauá”, declarou o especialista.

Contaminação

A Promotoria do Meio Ambiente enviou um ofício ao Centro Paula Souza no dia 20 de julho e deu três meses para a apresentação de um plano para todo o imóvel da hospedaria. A Cetesb confirmou a contaminação do solo por óleo combustível.

De acordo com promotoria, quando vencer o prazo o Centro Paula Souza será notificado com um pedido de explicações sobre a obra. Isso deve levar mais aproximadamente 30 dias para a chegada das respostas sobre o andamento da licitação que escolherá as empresas para descontaminar o solo e para restaurar o imóvel. Caso, nada seja feito o MP pode entrar com uma ação civil pública contra o Centro Paula Souza.

O MP expediu ofício à Prefeitura de Santos  solicitando a ampliação da fiscalização no local, com a instalação de câmeras de segurança. A Administração enviou um relatório de vistoria e garantiu que o local possui uma câmera com vistas à Hospedaria.

Em janeiro de 2015, foi anunciada a construção da Fatec naquela área. Houve até a divulgação da abertura do edital de licitação para o restauro do imóvel.
O investimento do Estado seria de R$ 70 milhões e a obra era para começar naquele semestre e terminar em três anos, ou seja, agora em 2018.

Centro Paula Souza

O Centro Paula Souza  informou que a instituição comunicou ao Ministério Público que está em andamento o procedimento interno para lançar licitação visando a contratação da empresa, que irá elaborar o laudo de descontaminação do solo do terreno da Hospedaria dos Imigrantes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

©2018 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma