Cotidiano

Até cinco mil vagas temporárias no comércio da região

Entre os lojistas que aumentarão a equipe, 55% disseram que devem contratar dois funcionários extras

6 OUT 2018 Por Vanessa Pimentel 08h:30
O comércio da região deve abrir até cinco mil vagas temporárias O comércio da região deve abrir até cinco mil vagas temporárias / Rodrigo Montaldi/DL

O comércio da região deve abrir até cinco mil vagas temporárias para atender a demanda de fim de ano, segundo pesquisa do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista. De acordo com os dados, cerca de 46% dos entrevistados devem contratar. No entanto, para 54% o quadro atual de colaboradores dará conta do trabalho durante o período.

Entre os lojistas que aumentarão a equipe, 55% disseram que devem contratar dois funcionários extras. Para 27%, o reforço será de apenas uma contratação. Já os que buscam pelo menos seis novos funcionários, representam 9%.

“Nos piores dias da crise, o comércio admitia um ou nenhum colaborador para o período, mas com a lenta melhora, é possível identificar que quem contratava um, hoje contrata dois. Isso é um bom sinal para a nossa região”, explica o presidente do Sindicato, Omar Abdul Assaf.

Dia das Crianças

A expectativa é de bons resultados também para o movimento no Dia das Crianças. A estimativa de 57% dos comerciantes é que as vendas vão aumentar no período em comparação a 2017. Já para 39%, o faturamento deve permanecer o mesmo. Apenas 4% preveem um resultado negativo.

Em relação aos lucros, a melhora será superior segundo 19% dos empresários, que indicam acréscimo de 10 a 15%. Os mais otimistas representam 12% do total e esperam que a data agregue acima de 15% na receita.

Consumidores priorizam bom atendimento na hora de fechar negócio

Para quem pretende presentear os pequenos no dia 12, o maior atrativo é o bom atendimento, segundo 50% dos entrevistados. Para 25%, o mais importante é presentear de acordo com o que a criança pediu.

Além disso, o levantamento do SincomércioBS indica que em 2018, 92% dos entrevistados pretendem presentear. A maioria (38%) pretende gastar entre R$ 50,00 e R$ 100,00 – faixa de preço também favorecida em 2017. Os que planejam desembolsar entre R$ 101,00 e R$ 200,00 totalizam 29% e para 12%, o valor do produto deverá ficar entre R$ 201,00 e R$ 300,00.

Os brinquedos permanecem a principal seleção de presente (67%), seguido por roupas (42%) e calçados (37%) – padrão visto nos anos anteriores.

Formas de pagamento

O cartão de crédito ainda será a forma de pagamento mais usada (50%), como em 2016 e 2017. O índice para aquisições com dinheiro é de 29% (40% ano passado) e as aquisições com cartão de débito não deverão passar de 21% no total (soma de 14% no ano anterior).

Quando se trata do local, o consumidor da região não tem preferência: um montante de 67% irá realizar a aquisição do produto em qualquer tipo de loja, número que representava 36% no ano passado. Quem dá prioridade ao comércio local, foca nos estabelecimentos do shopping (21%) e nos negócios de rua (8%).  Apenas 4% relataram a pretensão de utilizar exclusivamente e-commerce.

O levantamento foi realizado entre os dias 20 e 28 de setembro de 2018, com 50 entrevistados, nas nove cidades da Baixada Santista. A pesquisa tem caráter quantitativo, pelo método de levantamento com amostra aleatória simples e estratificada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

©2018 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.
Plataforma